Vai baleiar!

Postado em Atualizado em

Provavelmente muita gente não entendeu o título deste texto. Como não entendeu ainda as novas formas de reorganização social que têm surgido por meio dos suportes digitais da Internet.

Duas amostras: a primeira foi quando um grupo de cidadãos formadores de opinião decidiu legitimamente demonstrar sua indignação com a aprovação da taxa do lixo de Manaus. Votada pelos vereadores da cidade, a taxa mobilizou tuiteiros a fazer uma vaquinha para publicar dois outdoors com o nome dos vereadores que votaram a favor do projeto do prefeito Amazonino Mendes. Foram arrecadados R$ 1.400,00.

Alguns vereadores se sentiram ofendidos com o movimento e começaram a pressionar empresas de outdoor a não aceitar o serviço, ameaçando inclusive votar um projeto tipo “cidade limpa”, tirando as concessões de outdoor. As empresas recuaram. Uma vereadora não soube dialogar com a diferença e cometeu twiticídio, não sem antes sair atirando em muitos, por esse e por outros motivos. Triste da cidade em que vereadores sérios têm de fiscalizar vereadores venais, que deveriam fiscalizar o executivo.

O segundo fato, decorrente do primeiro, é a tentativa de intimidação. Uma das coordenadoras da arrecadação da campanha do outdoor foi visitada em seu trabalho por uma equipe de uma rádio, alegadamente a CBN Manaus. A história está aqui: www.oavesso.com.br/omalfazejo. Outros ou estão sendo processados pelo dono da rádio ou já sofreram intimidação em seus locais de trabalho.

Já faz tempo que estudiosos falam da sociedade da informação. Para quem se interessa pelo papo acadêmico, leia Pierre Levy, Manuel Castells ou Adam Schaff. A questão é que alguns sujeitos ainda se comportam como se as relações sociais fossem as mesmas do capitalismo tardio, impermeável à sociedade da informação. Não se deram conta, com suas cabeças cheias de entulho autoritário, que mudou. Antigamente, o poder que silenciava era o bélico, dos exércitos, da baioneta. Silenciava-se na aniquilação física do inimigo. Até recentemente, era o poder econômico. Para calar sobre um assunto, políticos compravam todo o estoque da revistas que o tinha como matéria e resolvida a questão estava. Aniquilava-se pela supressão da informação. Hoje, o poder migrou para a informação. Mais especificamente para a distribuição da informação. Com uma diferença: se antes ela era sólida (tira-se daqui para ali, guarda-se pra sempre), hoje ela é líquida (aperte aqui e ela escorre pelos dedos para aparecer em outro lugar, guarde aqui e ela derrete saindo do depósito para ganhar as ruas). Na sociedade 140 bytes só se aniquila alguém com a superação da informação, ou seja, pelo convencimento com argumentos.

As consequências  desse descompasso de tempos (o de alguns sujeitos e do tempo em que vivem) são políticos que pagam mais de um milhão a seus testas-de-ferro achando que basta esconder a cópia do empenho e da ordem bancária que ninguém saberá. Esquecem que em sua liquidez  a informação vai para os bits públicos, dando real significado ao verbo vazar. Velhos métodos para novos cenários não funcionam. As consequências disso são pretensos coronéis de barranco se transmutando em alferes de mídia, mudando a patente (mas não suas práticas) e crendo piamente que a intimidação de outros tempos têm o mesmo efeito de outrora nessa época de liquidez. Ledo engano.

A liquidez dos suportes digitais tem efeito especular ampliado para práticas pré-digitais. Funciona como espelho. Do jeito que vem volta refletindo amplificadamente na direção do próprio emissor. Se a CBN Manaus fez isso mesmo – e se não fez precisa se manifestar publicamente sobre o fato, pois há testemunhas -, não tem ideia da jaca em que se meteu. Seu pretenso ato, covarde nessa ou em qualquer outra época, reverberará negativamente, ecoando vozes coletivas que convergem em princípios e na concisão dos 140 caracteres do Twitter. O efeito resume-se na frase de uma usuária do Twitter: “Eles jogam a merda no ventilador, a gente faz ela feder”. É por aí.

Acontece que o “feder” a que se refere a tuiteira, porta-vozeando outros indignados, é qualificado. São formadores de opinião que reconhecem o estado de direito. Pessoas devidamente letradas como cidadãos ativos que não trocam suas opiniões por dentaduras, promessas de carreta de internet ou afins. São sujeitos de seu tempo, que transitam na liquidez da informação com desenvoltura, águas essas, diga-se de passagem, em que muitos dos mimeógrafo-boys ou CDD-girls quando se metem só tomam caldo, pagando peitinhos ou se arranhando todo nos cachotes dessas ondas, se é que entendem a metáfora.

Já está no ar a campanha #ToNaFilaCBN. Por meio desse hashtag, a bela ironia de que se é para intimidar vai ter que agendar as visitas aos locais de trabalho de muita gente. Aliás, o meu é na UFAM, ICHL, Departamento de Línguas e Literaturas Estrangeiras. Só que estou de férias. Só volto dia 18. Nem precisa agendar. Estou de férias do trabalho, diga-se. Ligado na internet, no Twitter, na informação. Não tem como desligar. Ela vem até nós.

Solidarizo-me com a Bianca Abinader, a vítima dessa covardia imbecil. Porque só um imbecil para achar que algodão enxuga gelo. E não tenho a menor dúvida de que vai baleiar para eles. Duvido até que eles saibam o que ébaleiar, o que é hashtag ou o que é fake. #biafacts #carapintadafeelings. Enter.

24 comentários em “Vai baleiar!

    Carolina Coelho disse:
    04/01/2010 às 18:03

    Adorei o texto!! Perfeito!!

    George Dantas disse:
    04/01/2010 às 18:03

    Putz, mais direto impossível.
    Suas palavras traduzem tudo que queremos expressar.
    Pra eles #ToNaFilaCBN
    Parabéns

    @PowerEthus disse:
    04/01/2010 às 18:10

    Ótimo texto, Sérgio…
    Aos que quiserem mais detalhes do modus operandi da imparcial imprensa local, segue o link http://www.youtube.com/watch?v=SNJDEAX2uaI

    Larissa disse:
    04/01/2010 às 18:18

    To indignada!

    @tadeujnr disse:
    04/01/2010 às 18:24

    Muito bom o Texto. Acho que foi uma aula de ética para eles…
    #ToNaFilaCBN

    César Augusto disse:
    04/01/2010 às 18:25

    PERFEITO!!!!!!!!

    Robson Franco disse:
    04/01/2010 às 18:32

    Meu caro Sérgio Freire,

    Belíssimo texto. Na justa medida. Acabou esta época em que qualquer um falava qualquer coisa oufazia qualquer coisa e ficava por isso mesmo. A manifestação social é sempre legítima, sobretudo quando se baseia na liberdade de expressão e no desejo de ver o desenvolvimento da urbe de forma legal, sem interesses excusos.
    Aos que não estão acostumados a isso, é um bom momento para refletir e perceber que não há mais espaço para a tirania. Hoje o conhecimento se dilui de forma exponencial. Reverbera até mesmo no vácuo. Somos, tuíteiros, cretinos ou não, uma mostra e prova cabal disso. Diferentes idades, pensamentos e credos unidos com um mesmo sentimento de indignação, como diria Nietszche, de vontade de potência.
    É assim que me sinto neste momento. Profissional de comunicação que sou, deixo não apenas minha solidariedade à @bia_abinader e mais ainda minha indignação, mas também engrosso, e endosso, o coro dos descontentes hoje menos desvalidos.
    Postei isso aí no http://oavesso.com.br/omalfazejo/ também.

    Não devemos nos intimidar com este tipo de truculência. Devemos nos resguardar juridicamente. Não é processando a todos os contrários que o Anão de Jardim se manifesta. Ismael Neto bem sabe disso. Antes da minha indignação, expresso minha solidariedade à Bianca Abinader. Estamos contigo. Para quem não sabe, Tuíteiros Cretinos são a nova geração carapintada. Começamos com a #taxadolixo em campanha em outdoor que foi devidamente abortada porque as empresas cederam à pressão do poder público. Entendo, elas vivem disso, essas lavanderias de luxo (ou seria de lixo?)!
    Nada pessoal contra o Ronaldo Tiradentes, reitero aqui. Poderia ser outro, mas foi ele. Ele, que foi defenestrado do Twitter por que não aguentou a pressão, acostumado que é a cortar o microfone de quem tem opinião contrária, deve aprender a lidar com o diferente. Apresento a ele agora a alteridade. Princípio sobre o qual nenhuma sociedade sobrevive: é o direito ao diferente. Bianca Abinader foi a escolhida por ser funcionária pública. Mas ela não está sozinha. Além de ter família tem amigos e, mais ainda, tem os tuíteiros. Não a queremos como mártir. Mas virou musa dos tuíteiros. Falo por mim mas acredito que os outros endossam. Truculência é com o Ronaldo Tiradentes mesmo.
    Vai descobrir da pior forma a Terceira Lei de Newton: a toda ação corresponde uma reação de mesma direção, mesma intensidade e e em sentido contrário. Alea jacta est!

    Sérgio Armstrong disse:
    04/01/2010 às 18:43

    Excelente percepção! Abaixo a dinastia do “Vc sabe com quem está falando?”

    lorodadoca disse:
    04/01/2010 às 18:43

    Otimo texto parabens!

    Shy disse:
    04/01/2010 às 18:53

    Era só o q faltava….vamos retuitar total esse link…pros jovens estarem bem ‘fresquinhos’dos nomes em quem NÃO votar….

    Tony Barreto disse:
    04/01/2010 às 19:14

    Isso é realmente algo que nos indigna! Mas essa indignação tem o lado bom, que é o de sabemos que ainda temos bom senso pra não nos deixar submeter a esse tipo de intimidação retrograda e covarde. #ToNaFilaCBN

    Daniel Santana disse:
    04/01/2010 às 19:18

    Caro Ségio, olhando de mais alto esta estória, preocupa-me muito o nosso momento histórico. Näo é dificil ver que estamos à beira de uma crise de representatividade em nosso sistema. Onde já se viu cidadäo ter que fiscalizar vereador, seu legítimo representante? Onde já se viu vereador intervir na lei de mercado? Onde já se viu Rádio sendo usada como capataz pra intimidar cidadäo?! Será que não sabem o que é “dobra histórica” e que esta teve início com a internet? Enqunto vivem em Sucupira, eu posto este comentário parado no meio da rua usando um celular, e essa informaçäo que recebi de teus escritos passarei à diante logo ali, a dez metros, a outra pessoa que passará a outra e mais outra. Não tem mais volta, a sociedade está de olho, informaçäo é o mais novo bem comum. Não se muda o curso de um rio impunemente, mal sabem eles que a força das àguas constróem oceanos. Abs, Daniel.

    Cláudio Barboza disse:
    04/01/2010 às 19:49

    Sérgio, parabéns pelo comentário.
    Linha por linha, ponto por ponto. Nada a tirar nem a acrescentar. Perfeito.
    É importante que todos saibam: o tempo dos porões ficou para trás e não pode voltar.
    Precisamos estar vigilantes e ampliar cada vez mais os laços democráticos.

    Vanessa Marruche disse:
    04/01/2010 às 19:57

    Professor, ficamos (eu e o Adam) indignados com tudo isso. E adoramos o texto que você escreveu. Gostamos também do modo como o @ismalbneto descreveu a situação ocorrida. É isso aí. Temos mesmo é que apoiar essa causa. Estamos aqui pra dar nosso apoio à @Bia_Abinader e às próximas vítimas do #ToNaFilaCBN.

    Um abraço,

    Vanessa Marruche e Adam Ramos de Souza

    Luciane Pimentel disse:
    04/01/2010 às 20:05

    É Prof. Sergio. A verdade é que ao contrario de tempos atrás hoje não se pode calar e nem tentar intimidar os novos formadores de opnioes. Essa corja que está a mais de 20 anos no poder conseguiu muita coisa intimidando, ou “mandando” nessa cidade. Somos formadores de opnioes, pagadores de impostos e em breve pagadores da tal taxa do lixo. Não devemos nada, temos residência e emprego próprio. Suado e batalhado. Não fazemos parte da corja de rabinho preso que por sinal vão continuar calados. É bom q os governantes aprendam que quando se mexe com o lixo a coisa fede, e que eles saibam fazer a faxina direitinho, pq se eles não sabem nos sabemos. Alias a fila do CNB ta enorme… #ToNaFilaCBN

    Daniel Goettenauer disse:
    04/01/2010 às 20:44

    perfect
    #ToNaFilaCBN

    Jeso Carneiro disse:
    05/01/2010 às 10:56

    Redondinho seu texto, Sérgio. Ainda mais com essa santa indignação contida nele. Parabéns! Que muitos te sigam o exemplo.

    Adonai Chacon disse:
    05/01/2010 às 13:38

    Perfeito, Sérgio, mas e agora, o que faremos? algo tem que ser feito urgentemente, que nojeira.

    Marcelo Sussuarana disse:
    06/01/2010 às 09:43

    Perfeito!

    Dra_Bia disse:
    06/01/2010 às 09:56

    Professor, tomei a liberdade de divulgar seu texto pros meus amigos, via email (com todos os créditos, claro.)

    Como diria um certo slogan há tempos atrás: Reage, Amazonas!

    Abs.

    Doutor Estranho disse:
    06/01/2010 às 21:32

    Expresso aqui minha solidariedade à Bianca Abinader. E viva à comunicação multidirecional e multiplural!

    #ToNaFilaCBN

    PSICO-LOKO disse:
    08/01/2010 às 08:26

    Excelente texto. Prabéns. Também quero divulgá-lo, com vossa permissão é claro.
    Não podemos peder nossa capacidade de nos indignarmos.
    Fiscalizar é mais que um Direito. É um dever de todos os cidadãos. Continue assim.

    M. disse:
    08/01/2010 às 09:50

    Recebi o texto do Leo e vim apoiar
    aqui e lá
    #ToNaFilaCBN

    M.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s