Os olhos vêem de onde os pés pisam

Postado em Atualizado em

Andei refletindo sobre os desdobramentos do ETC_Manaus e andei pensando se valeria a pena escrever algo sobre isso. Como eu gosto de escrever e acredito que a escrita ajuda o raciocínio, decidi escrever.

Para quem não sabe o que é o ETC (Encontro de Twitteiros Culturais), uma breve explicação. O ETC é um movimento de tuiteiros que ocorre no Brasil inteiro e que tem por objetivo levar as discussões que interessam à sociedade realizadas no Twitter para fora do Twitter. O movimento não tem cor, sexo ou religião. Tem gente que gosta de tuitar, que gosta de gente, que é propositiva e que quer uma sociedade melhor. Os eventos são gratuitos e abertos ao público. Mais de duas dezenas de cidades brasileiras já se integraram à ideia.

Aqui em Manaus, eu, por meio do Grupo de Pesquisas Discurso e Práticas Sociais (UFAM/CNPq), do qual sou líder, resolvi chamar para mim a organização dessa ideia boa. Estamos exatamente pesquisando as novas linguagens digitais e esse é, de fato, o meu objeto primeiro de pesquisa no momento. Por isso ando por aí dando palestras e levando um pouco do que estamos fazendo à sociedade.

Conversando com o meu irmão Mauro Souza, publicitário, num almoço de domingo na casa de nossos pais, ele prontamente disse que colocaria sua agência, a NoSensePromo, à disposição, junto com seus parceiros, para a produção executiva do projeto. Eu tive a ideia, ele tinha como conseguir os recursos e nós dois temos um grande interesse por uma sociedade melhor, mais justa e mais cidadã, uma das grandes heranças que herdamos de nossos pais, o seu Jefferson e a Dona Helena.

Assim, realizamos o I ETC_Manaus em fevereiro. Convidamos tuiteiros ativos (era o critério) para compor as mesas. A Saraiva Megastore entrou com o espaço, a NoSensePromo com a captação de patrocínio e nós com o trabalho e a vontade de fazer. Fizemos. Detalhes aqui: https://blogsergiofreire.wordpress.com/2010/02/23/1o-etc_manaus/.

Aprendemos com o primeiro. O espaço para uma segunda edição do evento precisaria ser maior para acomodar o crescente número de pessoas interessadas. Reduzimos o número de mesas de cinco para quatro, para permitir maior tempo de exposição e debate. Mas não teríamos recursos para fazer do jeito que queríamos.

Pensamos numa alternativa: para manter o ETC_Manaus gratuito, de outra forma não conseguiríamos fazer do jeito que queríamos, realizaríamos o ETC@Party: um grande happy-hour com tuiteiros, com ingresso pago, cuja renda serviria para pagar as atrações, os custos, a casa noturna, além de possibilitar agregar recursos para, junto com os patrocinadores, realizar o II ETC. Fomos lá e fizemos uma noite agradabilíssima. Fotos no perfil do Twitpic do @ETC_Manaus.

Com a festa, começou o zum-zum-zum. “Por que cobrar?”, “Quem estaria por trás do ETC@Party?” e comentários do tipo. A cobrança foi explicada acima e a festa não era o nosso objetivo primeiro, que sempre foi o ETC_Manaus. Quanto a quem estaria “por trás”, sempre ficou claro. A coordenação sempre foi minha, com a produção executiva da NoSensePromo, agência do meu irmão. Houve críticas em tom de nepotismo que, confesso, achei engraçadas. Outras, com o tom revolucionário, gostariam que tudo fosse de graça, como se não houvesse custos em qualquer evento. Entendo os arroubos do socialismo juvenil. Já estive lá. É sincero e honesto. Assim, como quem faz está sujeito a ouvir sempre, processamos as críticas e fomos adiante na organização do evento.

Tomamos uma decisão quanto aos convidados para mesa. Quem já havia participado das mesas no I ETC_Manaus não seria convidado para as mesas do II. Além disso, deveria ser um tuiteiro ativo, que interagisse e usasse a ferramenta de forma efetiva. A ideia era ampliar o leque de participações. Assim foi feito. Convidamos várias pessoas que, por um motivo ou outro declinaram, como a jornalista Hermengarda Junqueira, o Senador Arthur Neto, o psicólogo Aluney Elferr e outros tuiteiros que fazem diferença na timeline. Convidamos tuiteiros que estavam acessíveis e nos responderam os convites, com um sim ou um não. Não convidamos tuiteiros que entraram ontem no Twitter, que não tuitam por si ou que não interagem, já que o objetivo do ETC_Manaus é exatamente discutir o uso do Twitter para a área de atuação de cada um. Fechamos as mesas enfim.

Mas os olhos vêem de onde os pés pisam. E por estarem pisando em terrenos bem específicos, alguns fizeram as suas leituras.

Começaram a insinuar – esse é o verbo – que a mesa de política estava “viciada”, que sua função seria fazer propaganda para uma coligação, que alguém estaria “patrocinando” o ETC com fins político-partidários, que seria necessário uma “auditoria” nas contas do ETC_Manaus.

Então, esclarecendo de uma vez: os convites para a mesa foram feitos diretamente por mim, professor Sérgio Augusto Freire de Souza. O ETC_Manaus só saiu daquele jeito show de bola porque a Bemol, a Claro, o Terminal Portuário das Lajes, o Instituto Census, a Mr. Zóide, a Ugagogo o patrocinaram, sem um tostão de recursos públicos, como costumam fazer muitos dos que apontaram seus dedinhos nervosos em nossa direção.

É preciso dizer que existem outras lógicas de funcionamento na sociedade. Nem todo mundo se vende. Por essa lógica dos que criticam, ter tido as participações brilhantes do Chico Preto e do Pauderney Avelino na primeira edição do ETC foi privilegiar um grupo político em detrimento de outros à epoca. Na política, meus caros, adversários não são inimigos. Enquanto assim forem tratados os adversários e aqueles que, na sua leitura, são aliados a eles – que foi a leitura equivocadíssima que alguns fizeram quanto a mim e a todos os que organizaram o ETC – , continuaremos com uma política paupérrima, esvaziada de questionamentos pertinentes e adornadas de afirmações panfletárias, que se utiliza da miséria econômica e intelectual da população para usufruir benefícios que são tudo, menos republicanos.

Eu tenho meus candidatos. Isso não me impede de tratar com educação quem de mim discorda politicamente e isso não me dá o direito de ser mal educado ou descortês com os demais candidatos. A educação para com o próximo e para com o diferente – outra herança dos meus velhos – é, inclusive, um critério de escolha dos meus candidatos, como o é para a escolha de meus amigos. Ter meus candidatos não impede de convidar, cumprimentar e desejar boa-sorte aos candidatos presentes na mesa do ETC, mesmo não votando neles. Mas essa é uma lógica que fere o pensamento binário de quem faz da política uma guerra e não um lugar de melhoria do social por meio do confronto de ideias que usem minimamente da honestidade intelectual.

Assim, reafirmo: o coordenador-geral do ETC_Manaus sou eu, professor Sérgio Freire, 42 anos, casado, duas filhas, pesquisador, apreciador de jujubas, professor da UFAM há 20 anos, orientador dos mestrados de Letras e de Comunicação, cidadão. Para quem ainda não sabe ou não me conhece, sou eu quem está à frente do ETC em Manaus. E para quem não me conhece – quem me conhece minimamente já sabe –, outra informação: só me vendo às minhas convicções políticas por convencimento, nunca por dinheiro. Porque quero uma cidade em que minhas filhas possam viver com segurança, com educação, com cidadania. Uma cidade em que as pessoas possam conviver na diferença sem ódio no coração, sem amargura na alma, sem agredir as outras achando que isso é liberdade. Quero uma cidade cujos administradores respeitem os recursos públicos e não façam de seus cargos políticos empresas privadas para captação de dinheiro retirado de merenda escolar, de escolas, de hospitais, de investimento em moradia e emprego, criando patrimônios gigantescos que, a olho nu, assustam quem dorme o sono dos honestos.

Sou professor. Aprendi com meus pais e estudando a ouvir argumentos contrários, processá-los, assimilá-los. Mas, por gentileza, não confundam educação com leseira. Porque aprendi igualmente a manifestar ideias, convicções, argumentos. E vou fazê-lo contundentemente sempre que necessário, como agora. Se os olhos daqueles que não querem um debate com honestidade intelectual não alcançam a vista para além do espaço medíocre do metro quadrado que habitam a culpa não é minha. Desculpem. Eu tive a benção de ter educação familiar e fiz a escolha de correr atrás de estudo. Para alguns, pelo menos a segunda ainda dá para resolver.

Há um ditado no discurso que diz que o velho do rio só acha o que ele já deixou lá. O sentido que dou ao mundo eu dou porque já é meu antes. A crítica que fazemos é uma projeção de nosso comportamento e valores no outro. É freudiano. Ou como diz repetidamente José Luiz Goldfarb, o idealizador do ETC no Brasil, em seu Twitter: “Não vemos o mundo como ele é, mas como nós somos”, citando o Talmude. Toca aqui, Zé.

O ETC_Manaus  foi o que a gente queria: um sucesso. E vamos continuar fazendo. Desculpem o incômodo.

Anúncios

22 comentários em “Os olhos vêem de onde os pés pisam

    Bernardo S Simoes disse:
    13/09/2010 às 10:28

    Que venha o III ETC_Manaus. Viva a diferença!

    George Dantas disse:
    13/09/2010 às 10:45

    Parabéns,
    Uma resposta adequada aos críticos que, certamente, poucos terão compreendido o sentido completo do texto.

    Victor Araújo disse:
    13/09/2010 às 10:50

    Pois é, mestre, a prova do sucesso desse projeto é, com certeza, o grande número de críticas! Se o ETC não despertasse tanto interesse, não haveria tanta gente incomodada! A mim só inocomoda ainda não ter podido participar, mesmo que seja como platéia… rs… quem sabe no III!

    Anderson Briglia disse:
    13/09/2010 às 11:01

    Eu tenho pena daqueles que usam 140 caracteres para incomodar você e os outros que organizaram o ETC Manaus. O cenário político na nossa cidade parece um circo. Aliás, um circo não, parece a Faixa de Gaza. É gente atirando morteiro por cima dos muros, outros covardes se escondendo em trincheiras cavadas por assessores inescrupulosos e civis inocentes sendo atingidos só porque saíram de casa pra comprar pão (ou resolveram organizar um evento).
    O que esperar de jovens que acreditam cegamente naquele político ou no outro só porque foram com a cara dele, ou só porque ele vai ajudar a sua própria família, bairro, ou é amigo de papai e mamãe? Onde está o estudo desse pessoal pra cobrar ações mais palpáveis e coletivas desses políticos de meia-tigela? Nem o mínimo de MORAL eles possuem para concorrerem a um cargo público e sinto VERGONHA como pessoa de ter representantes tão incapazes e incompetentes.
    Parabéns pelo evento. Parabéns pela discussão. E faço um apelo: Se nós, manauaras, queremos que o resto do país tenha respeito pela nossa gente, vamos começar a nos dar o respeito. #ficaadica

    Cassandra disse:
    13/09/2010 às 11:05

    Pena que não pude prestigiar desta vez mas, tenho absoluta certeza, que foi um momento de discussão, crescimento e amadurecimento de muitos!
    Prossiga sem medo de ser feliz!

    Fabiano Salazar disse:
    13/09/2010 às 11:15

    Comentários idiotas sempre existirão, no melhor sentido da palavra, inveja! Tenho certeza que o III será bem melhor! E estarei lá!

    Fanny Barbosa disse:
    13/09/2010 às 11:32

    Sérgio…

    Nasci em berço pobre, passei fome, vi minha mãe passar noites costurando, e lembro do sacrificio que minha mãe fazia para conseguir livros para que eu pudesse ler, lembro de livros doados pela igreja, rasurados e velhos, mas lembro pricipalmente da frase de minha mãe: Minha filha estude vá além de mim, eu nunca terminei meu estudo (minha mãe nunca saiu do fundamental, mal sabe ler e escrever) mas sei que educação transforma a sociedade, seja mais que todos, para dá aos seus filhos o que eu como mãe não pude dar.
    Então são exemplos como vc que vão iluminando o caminho de jovens, que transforma o pensamento critico, e que vai mudar a politica.
    O modo de politica já evolui graças a pessoas que se arricam, que falam e fazem o que certo, mesmo que o caminho não seja fácil.
    Parabéns o ETC Manaus foi um sucesso.
    De sua nova fã e admiradora.

    BrunoMut disse:
    13/09/2010 às 11:55

    Parabéns, prof. Sérgio, pela idealização do ETC na cidade, que estava precisando mesmo de projetos deste tipo.
    Me considero twitteiro dos mais inexperientes e infelizmente não pude participar em função de outros compromissos, mas participei da ETC Party e a considerei um sucesso. Iniciativas como essas são louváveis.
    É certo que sempre vai aparecer alguém desocupado o suficiente pra elaborar “teorias da conspiração” de toda natureza, mas bem sabemos que é o preço que se paga por ter idéias que outros gostariam de ter.
    Quanto à cidade mencionada no texto, creio que ouvi falar de uma lá pelas bandas do Canadá (rsrsrs), mas não me pareceu tão boa quanto a nossa, apesar de tudo.
    Um abraço e novamente parabéns pela iniciativa.

    luadosolzinho disse:
    13/09/2010 às 12:24

    É como disseram e repetiram no II ETC: Há os que (só) falam; e há os que (também) fazem! Fico feliz que você seja daqueles que FAZEM… a diferença. Eu adorei o evento, pelo menos até onde pude acompanhar. E gostaria de ter participado e prestigiado todas as mesas. Mas os compromissos não permitiram. Aguardaremos o III. =)

    Bianca disse:
    13/09/2010 às 13:25

    Sérgio, você foi perfeito em suas colocações!

    Endosso todos os comentários acima.

    Entendo perfeitamente a tua indignação frente as insinuações, são vis e caluniosas, mas é como sempre dizem: quem é inescrupuloso sempre vai achar que todos são tão inescrupulosos quanto.

    Certas pessoas estão tão enraizadas com um mundo sombrio, movido a interesses escusos e de valores invertidos que não aceitam que existam pessoas que tomam iniciativas bacanas como essa tua apenas pelo bem estar comum, pela valorização a cultura, pela integração social.

    Também venho sendo atacada desde que foi divulgado meu nome como mediadora por gente que nunca ofendi, mas daí é mais por coleguismo (leia-se puxassaquismo) cego, despeito, outro$ intere$$e$ ou até por esporte, sabe-se lá. Me controlei o máximo que pude, mas ainda dei algumas respostas a altura, outras nem tanto por serem baixas demais e a partir de agora a ordem é ignorar, porque certos males só se matam com indiferença. Ou na Justiça. E ainda existem aqueles que se afogam no próprio veneno…

    O importante é que o evento foi um sucesso, ótimas críticas de quem participou de peito aberto e soube aproveitar tudo de bacana que ele pode oferecer. Foi uma honra ter sido convidada e ter participado dessa grande integração.

    Parabéns a você, a NoSense e a todos que fizeram desse dia uma grande confraternização!

    Ana disse:
    13/09/2010 às 13:37

    O ETC foi um sucesso, Sérgio! Parabéns pela organização e, principalmente, pela idéia. As mesas foram ótimas e o evento obteve, sim, êxito.
    E foi um prazer imenso conhecer tanta gente inteligente!
    Que venha a próxima edição!

    João Carlos Negreiros Dias disse:
    13/09/2010 às 13:49

    Foi D+ mano!!

    Parabéns!!!

    Paulo De Carli disse:
    13/09/2010 às 13:56

    Caro Sérgio,
    Com muito orgulho participei de uma das mesas do II ETC. Acho que a organização do evento foi boa e entendo que eventuais falhas são normais e fazem parte de qualquer evento, especialmente, quando se trata de uma idéia nova.
    Quanto as críticas, não tenho a menor dúvida que passado o período eleitoral, cessarão em um silêncio ensurdecedor…rs!
    Parabéns a vc e todos que colaboraram para o sucesso do evento que muito colabora ao estímulo e direcionamento das tendências ao bom uso da “ferramenta Twitter”.
    Contem sempre comigo para participar, sugerir, assistir e twittar.
    Abraços,
    Paulo

    Kelly Drummond disse:
    13/09/2010 às 14:11

    Sérgio Freire, você e seu irmão e todas as pessoas que apoiaram a idéia do encontro, são ÁGUIAS. Tiveram visão e fizeram acontecer! E isso é que diferencia as pessoas uma das outras. Quanto às galinhas, aquelas q ficam ciscando o terreno dos outros, fazendo arruaça e barulho, essas só olham pra baixo e nunca experimentaram o prazer de um vôo. Feliz daqueles q puderam desfrutar deste evento. Quisera eu estar lá e ter desfrutado desse maravilhoso encontro. Só tenho a parabenizar e dizer: eu prefiro voar com as águias a passar a vida ciscando com as galinhas, já dizia meu coach de vida Souza Neto…Vá em frente irmão!

    Carolina Coelho disse:
    13/09/2010 às 14:12

    Sergio,

    Excelente texto. Vc, como sempre, merece nota 1000 pelo grande espírito que tem.
    Li todos os comentários. O do Bríglia foi na ferida e sem dúvida o que mais se assemelha a minha opinião.
    Abraços e no III ETC_Manaus estarei lá.

    Sérgio Armstrong disse:
    13/09/2010 às 14:21

    Excelente resposta para a turma que faz da política cabide de emprego porque não tem competência para criar e fazer coisas boas! Até projetos de lei se dão ao desfrute de copiar de outros estados e municípios!
    Parabéns a você e aos que te auxiliaram na condução do evento! Gostaria de ter ido, mas compromissos acadêmicos não permitiram! Parabéns também ao Mauro e sua equipe!

    PAULINHO disse:
    13/09/2010 às 14:21

    Twitter é uma ferramenta muito legal de ser usada, mas sempre tem as pessoas que abusam.
    http://www.pernadepautupa.wordpress.com

    daniellsantana_ disse:
    13/09/2010 às 15:12

    As transformações silenciosas por que passa nossa sociedade decerto assustam aos que preferem uma vida opaca. Ao terem flashs desse novo momento, a cada novo evento que surge, o sujeito-embrutecido entra em colapso. Quer seja por por não participar, quer seja por não compreender, ou pior ainda, quer seja por não ter elementos simbólicos e não estar apto a se relacionar com o mundo por meios que não sejam de interesse próprio, por uma economia de vida muito rudimentar do tipo “o que eu ganho com isso?”, “quem tá ganhando com isso?”. Simplesmente acusam o golpe e denunciam a si mesmos sua mediocridade – daí que a angústia se multiplica de forma exponencial, pois não compreender algo que possa ser de ganho coletivo. Solução imediata: é espernear. Que continuem esperneando, pois com o fenômeno da “comunicação periférica” mais e mais eventos como o ETC surgirão de dentro da sociedade para ebulirem nos confins de nossas relações mais interiores. Assim, espernear por ora lhes é a solução. Nada além. Porém, quanto antes abrirem os olhos, antes saem deste estado de letargia, mediocridade e angustia que lhes assola.
    Sou grato pela participação e por junto a uma moçada diferenciada estar vivenciando a criação de novos tempos.

    brunno disse:
    13/09/2010 às 15:42

    Sergio,

    Tbm amo jujuba!

    Achei um evento muito interessante, mas so assisti a mesa de politica. Quem sabe no proximo eu assista desde o início.

    Brunno.

    Yuri Santos disse:
    13/09/2010 às 22:25

    Pena que não deu para ir ao II ETC_MAnaus, mas soube que foi um sucesso.

    Parabens e venham outras edições. Esse tipo de coisa sempre irá existir, assim como existirão pessoas como você e como tantos outros que acreditam e querem uma sociedade melhor.

    Mais uma vez parabens pelo evento e vamos em frente.

    Como digo e repito Redes Sociais sõa um meio e não um fim, tem que existir a intereção e contato fora do virtual.

    Hevanna disse:
    17/09/2010 às 20:49

    Parabéns, professor, por mais essa iniciativa. Seu texto está excelente e totalmente auto explicativo.
    Infelizmente não está escrito na testa de ngm qm é honesto ou n.
    Mas, como vc msm disse, qm lhe conhece pelo menos um poukinho, sabe de sua honestidade e integridade.

    Abraço!

    H.

    Aluney Elferr disse:
    31/12/2010 às 21:09

    Amigão, foi uma pena não poder ter participado do evento, mas a próxima iremos. Amigo por uma questão de informação, eu não sou psicólogo e sim psicanalista e teólogo. Obrigado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s