Sete mil amores

Postado em Atualizado em

Há alguns dias soube da Luíza. Soube por amigos que são amigos da Carol (@ccvarella), sua mãe, e de Marcos (@mv_mao), seu pai. Li um pouco mais sobre o que estava acontecendo no texto do Ismael Benigno Neto. Apesar de não conviver com a família, sempre leio o blog da Carol e com ela troquei mensagens no Twitter sobre diversos assuntos. Gente do bem. E ainda que não seja próximo, fiquei muito triste e abalado com a notícia. Atribuo a tristeza ao sentimento do mundo, sobre que Che Guevara discorreu. Dizia ele que há uma ligação entre todos os seres que habitam o planeta pelo simples fato de pertencermos à raça humana. O que acontece a alguém em algum lugar do mundo a mim importa. Atribuo o abalo ao fato de ser pai e ter filhas. A notícia foi como um soco no peito que me tirou o ar, confesso.

A iminente luta de Luíza e de sua família me fez parar. Fez-me desligar o carro e pausar a roda-vida por alguns dias. Dei um tempo no Twitter, reorganizei prioridades, redesenhei alguns planos para a vida. Inevitável a reação de pai, que o Ismael magistralmente sintetizou em seu texto: “O reflexo involuntário de todo pai é olhar pros filhos, beijá-los, amá-los ainda mais”. Desliguei das coisas e liguei o potenciômetro dos chamegos gratuitos com as minhas filhas ao máximo. Lembrei da efemeridade da vida e das guinadas que ela dá para nos testar, fazer crescer, fazer amar mais. Nada vale a pena se a alma é pequena, parafraseando o poeta. Tantas miudezas, briguinhas, rancores, provocações, mimimis. Tudo reduzido a pó diante do amor que se tem por um filho. Diante do amor. Diante da vida.

Tenho acompanhado silenciosamente os passos de Luíza e sua família. Tenho me fortalecido na fortaleza de Carol e de Marcos, davis gigantes diante de um golias que, como na história, certamente derrotarão. Tenho visto como a solidariedade é realmente um dos mais lindos alimentos da alma. Pessoas de todos os lados, fé, crenças, tribos, fazendo uma corrente de fé pelo final feliz da história de Luíza, manifestando-se de várias formas, uma delas pelo Twibbon da hashtag #ForçaAnaLuiza, em http://twb.ly/d0TxQx.

Não há nada mais precioso do que um filho. Absolutamente nada. Empresto todas as minhas forças aos pais de Luíza. Eu os tenho colocado em minhas orações de pai todos os dias, pedindo ao bom Deus que lhes dê serenidade na turbulência e que mantenha a força descomunal do amor que os pais têm pelos filhos e os filhos têm pelos pais, o mais puro e verdadeiro tipo de amor que o ser humano conhece.

Quando eu era  jovem, sempre disse que um dia que tivesse uma filha ela se chamaria Luíza. É porque sou um ser musical e “Luíza” é uma das mais belas músicas que conheço. Casei, descasei, casei, descasei e casei. E vieram minhas duas filhas, que se chamam Clara e Marina. Uma, a Clara, é um coração de mel, de melão, de sim e de não, feito um bichinho no sol da manhã, novelo de lã. A outra, a Marina, é morena, bonita com que Deus lhe deu. A minha Luíza não veio. Mas veio para outros pais. Veio para o Marcos e para a Carol.

Não há muito a dizer. Mas queria dizer, ainda que fosse pouco:

Marcos e Carol: depois de tudo isso, eu tenho certeza que vamos lhes ver, braços abertos, cantando em uníssono: “Vem cá, Luíza!/Me dá tua mão/O teu desejo é sempre o meu desejo/Vem, me exorciza/Dá-me tua boca/E a rosa louca/vem me dar um beijo/e um raio de sol/nos teus cabelos/como um brilhante, que partindo a luz,/explode em sete cores/Revelando então os sete mil amores/que eu guardei somente pra te dar, Luíza”. Nós estaremos aqui, amigos, fazendo o backing vocal para a canção como se estivéssemos cantando para a Luíza de cada um de nós. Neste momento, a Luíza de vocês é de cada um de nós. É a Luíza dos sete mil amores…

Anúncios

17 comentários em “Sete mil amores

    @annepimentel disse:
    27/09/2010 às 14:53

    lagrimas… Orações e FÉ! logo logo, cantaremos Luiza

    isobel disse:
    27/09/2010 às 14:54

    Belo texto.

    Como mãe posso falar que não há nada + precioso na vida que nossos filhos. Se eles não estiverem feliz, de nada adianta nossas conquistas.

    Como mãe, abri mão de meu mau humor, de minha falta de fé. Fiz as pazes com Deus por um bem maior. Por uma corrente de solidariedade.

    Como Mãe, desejo e peço a saúde da Luiza, mesmo sem conhecer a família a criança, me junto com minha filha na prece para que Deus dê forças a família, que ilumine os profissionais que estão cuidando da mesma e que dê forças e essa tão jovem, tão pequena lutadora.

    Acredito na união por um bem maior e acredito nessa corrente de fé a amor ao próximo.

    Fé, esperanças e que Deus abençoes ainda + essa família. Amém!

    É a Luíza dos sete mil amores!!

    Luana disse:
    27/09/2010 às 15:09

    Lindo, lindo, lindo!

    mimisaunier disse:
    27/09/2010 às 15:14

    Imagino a impotencia desses pais em olhar para sua pequena Luiza e querer para si o sofrimento dela. Pq quem ama é assim, quer poupar o outro de coisas ruins, qdo o meu pequeno tem uma simples febre eu peço tanto a Deus que isso seja para mim e nunca para ele. Dói, dói demais. Deus lhes dê força e Jesus guie a cura para essa menina e que ela possa daqui a um tempo estar no meio de nos comemorando a vitoria da VIDA! \o/

    Goreth Menezes disse:
    27/09/2010 às 15:18

    Tocante. Grande demonstração de amor pelo próximo. Obrigada.

    Carolina Coelho disse:
    27/09/2010 às 16:52

    Choro soluçado define. Não consigo escrever algo pra esse texto tão lindo. Minha filha é o bem mais precioso que temos. Ela é filha única. Neta única. Sobrinha única. Mas que despertou o carinho de centenas de desconhecidos.
    O desespero nos nossos corações, nos corações do avós, dos tios e dos tantos tios tortos, foi avassalador. Hoje, indo pro centro curúrgico para as biópsias, fui tomada por uma força que só tem uma explicação: Está vindo de vocês. Sem dúvidas, eu não tenho força alguma. Só as orações, em nosso favor, foram capazes de me dar forças e coragem para aguentar o choro desesperado da minha filha e principalmente, a afirmaçãozinha que ela fez quando ela abriu os olhos após a anestesia. Chorando muito ela disse: “Ai, mamãe. O que eu fiz para merecer esse castigo?!”
    Eu desabei. Chorei. Disse que isso não era um castigo. Era um desafio e que nossa família iria ganhar. Me segurando, disse que se uma pessoa merecia um castigo, não era ela. Pois sempre foi uma menina perfeita, inteligente, obediente.
    Enfim, desespero é a palavra que define o sentimento que está em nossos corações.
    Releve minhas palavras mal escritas, Sergio. Estou sem a menor condição de escrever. Mas seu texto lindo merecia pelo menos um comentário nosso. Obrigada pelo apoio.
    Todos do twitter, movidos pela bondade que transcende todas as discussões inúteis e pequenas, são provas de que o ser humano é capaz de ajudar. De doar um sentimento bom e positivo. E isso faz toda a diferença. Obrigada por tudo.

    Camila Alves disse:
    27/09/2010 às 16:56

    Ainda não sou mãe, mas também dei a mesma parada que você – e acredito que todos que soubeam fizeram o mesmo – por ter pessoas a quem amo na vida. Olhei para a minha irmã mais nova – e única – já praticamente mais alta que eu, e a abracei com o mesmo abraço que fazia quando ela era pequenininha. Me aninhei no colo da minha mãe e procurei pelo conforto do colo maternal que tantas vezes já me amenizou as angústias da vida.
    Admiro muito a força da Carol e do Marcos. Acho que mães, quando vêem seus filhos vulneráveis ao menos perigo, desenterram forças de uma fonte que Deus deixa lá, disponível para as mães.
    Espero que, daqui há alguns anos, a Ana Luiza possa olhar pra trás e ver quantas pessoas torceram, ainda que a distância, pela recuperação dela.
    =)

    Amazônia Paiva disse:
    27/09/2010 às 17:05

    “Não há nada mais precioso do que um filho”…filhos é um presente dado por Deus, uma benção muito grande.
    Acho que todos que estão a par da história da Carol e do Marcos, estão refletindo diante dessa situação.O ativismo nos consome, o capitalismo nos devora, o consumo nos assedia, e o que de fato tem valor vai ficando pra trás, como é o caso dos nossos filhos. E nessa busca corriqueira, deixamos de fazer história com nossos pequenos..rs
    Tudo tem um propósito, nada é por acaso…Acredito que tudo isso está acontecendo, pra nos acordar e ver que realmente nossa família é mais importante que as futilidades dessa vida..
    A luiza é forte, é guerreira, e essa família tem o melhor remédio de todos O AMOR… E isso basta!
    Parabéns, seu texto ficou lindo!!

    Raphael Sampaio disse:
    27/09/2010 às 17:47

    Não sou pai, e mesmo com todo meu esforço, não consigo imaginar a barra e, principalmente, a força de Marcos e Carol. tenho acompanhado, contribuído diariamente com palavras de apoio e muitas vibrações positivas para a família inteira. É pouco, para mim que dôo tais sentimentos com o coração apertado por não poder fazer mais, porém sei que para quem recebe, manifestações assim enchem de esperança e fortalecem um pouco mais o pote de fé, que acrescentado por cada oração de cada pessoa que tem acompanhado toda a história, farão parte essencial da recuperação da Ana Luiza. Parabéns a cada um pela iniciativa de esquecer, mesmo que por alguns minutos diários, seu mundo e seus problemas cotidianos. Parabéns a esses pais, que como muitos outros, arrancam forças inexplicáveis, que só o amor paternal/maternal propiciam. Parabéns, parebéns, parabéns!

    #ForçaAnaLuiza

    leonardo nogueira disse:
    27/09/2010 às 18:41

    Boa noite,

    Sou amazonense mas moro em Curitiba onde a +- 1 e meio eu e minha família recebemos o diagnostico que nossa pequena e tb Maria Luisa de 5 anos estava com um câncer, é algo devastador na vida de qualquer pai e é uma doença que atinge toda uma família (isso inclui amigos).
    Foram momentos que somente Deus pode nos carregar, quando seu filho fica com fome, vc corre e da um jeito de ter comida, quando ele ta com frio vc corre e arruma um cobertor, mas quando seu filho esta com dor e vc não pode fazer nada é de enlouquecer. Na primeira químio que minha filha fez ela teve 5 convulsões, eu chorava e rezava pedindo que Deus tivesse misericórdia e ele teve.
    Momentos muito difíceis aconteceram e Deus sempre esteve conosco e falando com a gente através de amigos e familiares, hj minha filha já fez quimio, radio e a cirurgia e retirou o tumor, porem ainda tem + 2 anos de quimioterapia que eles chamam de manutenção.
    Quero lhe dizer que Deus é muito misericordioso e bondoso e ele estará a todos os momentos com os pais da nossa pequena Ana Luiza e nós sempre estaremos em oração.
    É o momento de união e estamos dispostos a ajudar e tudo que em que pudermos.
    Como disse o Sergio no texto acima a vitoria e certa!!!
    Parabéns Sergio.
    Quem quiser ver fotos da minha princesa acessa @adairleonardo ou http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=670902216.
    Deus os abençoe

    Fernanda Rios disse:
    27/09/2010 às 19:39

    Lindo texto Sergio, me emocionou bastante mais ainda com o Comentário da Carol. É difícil de assimilar como pode Aquela pequena que eu vi nascer, que me sempre me impressionou com a Inteligência e doçura. Mas tenho certeza que vai dar tudo certo

    Carol Zau disse:
    27/09/2010 às 20:05

    Lindo texto, de arrancar muitas lágrimas e fazer refletir o quanto somos egoístas e nos preocupamos com coisas pequenas…mesmo a gente não conhecendo a familia isso toca lá dentro do nosso coração cada um tem sua maneira de expressar, mas ter filho é a melhor coisa do mundo, eu aprendo a cada dia com minha pequena e pra ela eu faço tudooo, é um AMOR inexplicavél… Vamos continuar com nossas orações pq pra Deus nada é impossivel, ele pode fazer acontecer!!!
    Força para os pais da pequena e estaremos aqui orando para a melhora da Luiza =)

    Nane disse:
    27/09/2010 às 21:33

    Belíssimo texto.
    Você conseguiu sintetizar e dizer o que todos nós, pais, sentimos e tivemos vontade de dizer.
    Com certeza nossos desejos e pensamentos positivos contribuirão pra que tudo fique bem com Luíza.

    sandy salum disse:
    27/09/2010 às 23:22

    Carolzinha é minha amiga,mulher de fibra,mulher guerreira… quando recebi a notícia da Aninha a qual vimos nascer durante o período da faculdade, foi como se fosse com um de meus filhos… meu mais velho tem a idade dela e ja brincaram juntos.. não consegui parar de chorare ao mesmo tempo de orar… e todos os dias Ana estáem minhas oraçoes, meus filhos até participam…por que a fé…. move montanhas…

    E NOSSO DEUS… É O DEUS DO IMPOSSÍVEL… creia… creia e verás a glória de DEUS….

    to contigo CAROL,MINHA AMIGA….

    #forcaAnaLuiza

    Erlen Dias disse:
    30/09/2010 às 11:04

    Oi Sérgio… suas palavras nos fizeram sentir próximos a essa família. Minha filha chama-se Luísa e a escolha do nome foi pelo mesmo motivo que vc escolheu a sua Luiza se tivesse vindo. Mas quanto à Luiza, fiquei sabendo quando fui deixar a minha filha na escola e estavam pedindo oração a ela e a uma outra aluna que nao me recordo o nome. Embora nao os conheça, tambem estarei rezando todos os dias por Ana Luiza e tambem por seus pais para que essa fase difícil seja superada e que tudo fique bem. Deus é poderoso e neste momento, o que podemos fazer é orar, orar sempre e mandar sempre energia positiva. Que Deus os abençoe!
    #forçaAnaLuiza

    Cyane Lima disse:
    30/09/2010 às 21:50

    O senhor Deus em sua infinita bondade há de guardar e proteger esta criança para que possa se recuperar logo…Estamos todos orando por ela!
    “…A Ana Luiza será abençoada pois, o Senhor vai derramar o seu amor…Derrama Senhor, derrama Senhor, derrama sobre ela o seu amor!”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s