Soneto da criação

Postado em Atualizado em

Gizes-de-cera esparramados pintam o mundo.
Papel picado em pedacinhos, flocos de neve.
Ideias saltam, num mundo livre, solto e leve…
Em cada clip, num araminho, um dom profundo…

Papel sulfite num céu azul logo se pinta.
A purpurina? o universo cheio de estrelas…
Como é bonito, como é poema, ficar a vê-las
Pintar o mundo usando as cores de sua tinta.

Os seus projetos saem perfeito de suas pranchetas.
Suas ideas brotam aos milhares de suas gavetas.
E os desenhos, ah, os desenhos são todos seus…

É a família, é o gatinho, é o peixinho…
Que ganham formas, contornos de um passarinho,
Quando as mãozinhas das minhas filhas brincam de Deus…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s