Completude

Postado em

‎”Diferente do que parece, a completude não vem com o preenchimento total. A completude precisa da falta. O preenchimento total ocupa todos os espaços, por isso imobiliza e tira o ar. Para ser completo, o sujeito precisa de lacunas: necessita sentir a ausência para sentir desejo do novo comparecimento; carece de se livrar da claustrofobia do presença para se mover no terreno da vida. Por isso, a presença total de algo ou alguém é tão ruim quanto sua ausência total. Ambas impossibilitam a completude: uma por excesso de presença; outra pela ausência da falta. Não há possibilidade de sujeitos felizes sem que gozem de um palmo de mobilidade. O demais nem sempre é sinônimo de fartura. O demais pode ser sinônimo de escassez. Escassez de falta. A vida não é lisa. É feita de furos, de escapes aonde vamos nos exilar em busca do equilíbrio. Tapar todos os buracos é ajudar a afogar a alma.” SF

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s