Aquarela

Postado em Atualizado em

Mauro e eu. Casa 20.Há pessoas que quando chegam mudam o ambiente. Trazem a luz que faltava para tudo ficar mais brilhante. Trazem o vento para soprar nos cabelos e rostos num dia de calor infernal. Há pessoas magnéticas. Quando elas aparecem, puxam automaticamente para perto de si outras pessoas, que se sentem energizadas pela sua presença. Há pessoas que são rios. Levam consigo outras pessoas para frente, numa incansável marcha adiante. Não há quem não se sinta bem arrastado na sua correnteza do bem.

Há pessoas que são professores. E dão show. Porque ensinam determinação, superação, vontade. Porque os outros veem nelas modelos de que as coisas podem mudar e dar certo. Há pessoas que inutilizam a meteorologia. Porque para elas não tem tempo ruim.

Há pessoas que são vinhos. Com o tempo, vão melhorando, ficando mais apurado. E, como os vinhos antigos, guardados décadas, têm um sabor tão diferente. Por isso, todos querem dar um gole no líquido burgandy. Querem segurar a taça de cristal nas mãos e sentir os seus contornos únicos. Um cristal raro também, que cai, porque é assim a vida, mas dificilmente quebra pela plasticidade da alma.

Há pessoas que são gladiadores.  A compleição física pouco importa. Podem ser baixinhas mesmo. Mas são gigantes quando entram no tatame da vida. São super-homens brigando com todos os bandidos do mundo. Vencem sempre. São pessoas vitoriosas. Eternamente vitoriosas. Mesmo quando perdem. Porque elas sabem que perder é parte do jogo e que perder é a véspera de um novo dia.

Há pessoas que são admiráveis por sua fé. Fé na vida, fé no homem, fé no que virá. Que acreditam. Assim mesmo: acreditam. Verbo sem objeto. Acreditam e ponto. Acreditam numa vida sempre melhor para si e para o mundo. Acreditam que a mudança é sempre um lugar possível dobrando a esquina. Acreditam que ao dobrar cada esquina a paisagem é sempre mais bonita. Porque essas pessoas têm nos olhos a boniteza que falta a muitos nos dias de hoje. Porque essas pessoas têm no olhar a poesia do olhar desacostumado, que dá sentidos àquilo que é tomado por garantido e é invisível aos olhos acostumados.

Há pessoas que são especiais. Não porque são melhores do que as outras. Elas próprias não acreditam nisso. Mas paradoxalmente, elas são pessoas superlativas que, vejam só, não acreditam no superlativo. Porque superlativar pressupõe que um seja melhor do que os outros e elas sambem que ninguém é o que é sem os outros. Essas pessoas se sabem feitas de gente. Gostam de gente. Gente é sua matéria-prima. Elas sabem que a felicidade que constroem no sorriso que arrancam daqueles que estão nos seus piores dias conta no coeficiente de melhoria do mundo. Por isso estão sempre sorrindo. Há pessoas que são o sorriso por definição, que têm sua foto estampada no conceito dos dicionários. Pode ir lá na letra S, SORRISO. A foto está lá para explicar o conceito sem deixar dúvidas.

Uma dessas pessoas que se encaixa em tudo isso aí é meu irmão caçula Mauro. Hoje é aniversário dele. 41 anos. Acordei pensando nele. Pensando na gente. Em tudo que a gente passou juntos, nos carinhos e nas brigas de menino, no quintal e na goiabeira da casa 20, na cumplicidade, nos segredos cabeludos que guardamos um do outro. E pensei, olhando as araras na minha janela, o quanto o meu irmão é uma aquarela. Ele colore o mundo por onde passa. Com um pinguinho de tinta que deixa cair num pedacinho azul do papel, num instante ele imagina uma linda gaivota a voar no céu. Fiquei feliz e orgulhoso por tê-lo como irmão.

Liguei para ele agora cedo para dar os parabéns e cantar a musiquinha que sempre cantamos um para o outro: “Estou ficando velho, estou ficando feio, até a minha bunda já rachou no meio!” Não consegui. Minha voz embargou e comecei a chorar. Choro de felicidade de tê-lo como irmão. De saber que ele é luz, que ele é vento, que ele é imã. Que ele é rio, que ele é professor, que ele é um vinho raro. Que ele é um cristal raro, um gladiador e um vitorioso. Que ele é admirável, que ele é um crédulo na vida, um homem de fé no mundo. Que ele é um cara superlativo. Que ele é uma pessoa especial. Mal consegui dizer a ele o quanto eu o amo. Só consegui dizer que temos o essencial, o amor, e que eu vou almoçar hoje lá na mãe com todo mundo para celebrar a vida, vida que para ele é tão cara, tão feliz e razão suficiente para acordar todo dia e fazer tudo de novo.

Você é um ser de luz, Mauro, meu irmãozinho. Parabéns. Deus já te abençoou. E a nós, por tabela, por te fazer parte da nossa convivência. Eu te amo, mano. Pra caralho. Desculpe o palavrão, você que me lê.  É que não há outra locução na língua portuguesa que expresse tão bem o que eu sinto por esse menino. Um menino que caminha e caminhando chega no muro. Mas que sabe que ali logo em frente a esperar pela gente o futuro está…

SF,  13 de dezembro de 2012. Dia do marinheiro e dia do cego, como ele sempre lembra.

Anúncios

3 comentários em “Aquarela

    Sáshala Maciel disse:
    14/12/2012 às 15:45

    Que linda Declaração Professor, e que belíssimo texto!
    Tanto que ouso pedir sua permissão para lê-lo em homenagem a uma amiga, que assim como seu irmão também se parece com uma aquarela, vou claro informar a todos a procedência do texto – como boa bibliotecária que sou -, é que ao ler, me parecia que estava lendo a descrição desta pessoa – minha amiga – que é realmente assim: cheia de luz, magnética, superlativa, uma aquarela!
    Fico no aguardo de uma resposta sua. Desde já muito obrigada, por nos premiar sempre com tão belos textos.

    Débora Xavier disse:
    17/12/2012 às 13:27

    Texto extraordinário. Deus abençoe seu dom de escrever e colocar tudo em movimento!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s