Questão de tempo

Postado em Atualizado em

“Foi. Cruzaram os olhares. Ou foram os clicks do mouse? Enfim… deu-se aquele momento em que a gente sabe que uma semente de querer sincero se apresenta para brotar numa frondosa árvore de amizade e, quiçá, de amor. Aquela troca de mensagens traz algo além da mera conversa, ambos sabem. Nenhum dos dois acelera, no entanto. Deixam-se ir na inércia do tempo do tempo porque há coisas. É mais prudente. Não se apressa um rio. Ele corre sozinho. ‘En cada conversación, cada beso, cada abrazo, se impone siempre un pedazo de razón…’ A paciência é uma velha virtude que o amor respeita. Exploram-se, tateiam-se, conhecem-se. Falam e, com medo de ser demais, calam. Dá-se um tempo de silêncio. Mas não é a pausa que permite a música? De repente, um dos dois espatifa o silêncio e retoma o script da vida. Vai-se um pouco além. Saem da zona cinzenta do sentido dúbio que permite o álibi do mal entendido para, pela primeira vez em tempos, falar dos dois em denotação. Tem uma hora em que as metáforas cedem espaço para a língua direta deitar e rolar. Isso é uma metáfora. E não é. Deitaram e rolaram. Mãos, bocas, línguas. Estavam fadados a isso. Eles sabiam desde aquele longínquo dia que isso aconteceria. ‘Longínquo’ ainda tinha trema quando a chama crepitou pela primeira vez…” SF

Anúncios

2 comentários em “Questão de tempo

    Ju Melendres disse:
    28/07/2013 às 18:11

    Adoro seus textos!

    Maralice disse:
    29/07/2013 às 19:12

    Linda mensagem…tudo é uma questão de tempo!!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s