Manja

Postado em

“E ela corria de mim. Era como se fosse uma manja. Duas crianças brincando de pique. Mas haveria a hora do repouso. Haveria a hora do silêncio. E nessa hora, eu a olharia nos olhos. E ela, tomada pela situação, se entregaria à brincadeira completamente…” SF

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s