Amazonês

Expressões e termos usados no Amazonas


O livro  é um dicionário de expressões e termos que são utilizados na linguagem oral amazonense.

À venda na Livraria Valer


36 comentários em “Amazonês

    Roberto Campainha disse:
    05/10/2009 às 00:34

    Irmão Sérgio,

    Há muito tinha curiosidade em ler seu AMAZONÊS e somente hoje lí quase tudo. Achei simplesmente fantástico, principalmente quando naveguei pelo dicionário. Confesso que dei boas risadas. Hoje, na Delegacia onde trabalho, lá na Zona Leste, é normal ouvir expressões do amazonês. Outro dia numa audiência, a moça dizia: “Doutor ela veio pra cima de mim e me agatanhou várias vezes, veja como ficou a meu braço…” é comum ouvir a expressão “acoitar” e assim vai. Bom, gostaria de pedir pra você incluir no seu dicionário a palavra AGATANHAR que significa arranhar com as unhas, as palavras CINTINA, CASINHA e PRIVADA que significam a mesma coisa né.
    Um grande abraço do velho CAMPA.

    rafael d. disse:
    28/11/2009 às 13:29

    Prezado Sérgio, é com muito orgulho que conheço seu blog, sou Manauara, mas moro atualmente em Belo Horizonte. É triste pensar como as pessoas ainda não nos conhecem, e o pior algumas ainda julgam. Estarei copiando parte de sua obra para alguns dos amigos daqui. Parabéns pelo trabalho e viva os Amazônidas. Abraços

    Lívia disse:
    04/12/2009 às 15:06

    Quando li o dicionário, ri bastante, lembrei da minha infância que era cercada dessas expressões. Parabéns pelo precioso trabalho!

    nelsinda disse:
    22/01/2010 às 18:14

    Adorei, algumas expressões que nos levam a infãncia. Parabéns pelo trabalho, vou repassar para amigos que não moram mais em Manaus. Posso?

    Gilson disse:
    05/02/2010 às 17:14

    Prof. Sergio,
    Parabéns pelo trabalho ! Eu ouvi falar que havia sido lançado a alguns anos atrás um livro com esse tema, palavras usadas pelos Amazonenses e capturada pelo autor que trabalhava em uma empresa do Distrito Industrial e os termos ou palavras foram publicados(as) neste livro.
    tentei por várias vezes comprar o mesmo mas não encontrei. Lhe agradeço muito por compartilhar seu trabalho….abraço,
    Gilson

    Nelminha disse:
    22/02/2010 às 23:24

    Professor Sergio, ATÉ PARECE que eu deixaria de de ler sua obra. Ela é boa QUE SÓ!!!!!!!!!
    Ultimamente, tenho comentado sobre o Amazonês, mas tenho convivido, em sala de aula, com o tal do GALERÊS, já ouviu falar??
    – Ta me tirando?
    – Ta ligado?
    – Ele é maior x 9!
    – Te chamou para x1!
    Vivendo e aprendendo!
    Um abraço de quem muito te admira.

    Arnaldo disse:
    25/02/2010 às 17:31

    Valeu meu querido! estava precisando desse dicionario….muito bom trabalho, parabens!

    Rômulo Cristiano disse:
    27/02/2010 às 14:08

    aonde posso comprar seu livro…procuro em todos os lugares e não acho…parabens, legal isso…:-)

    Adria Iglesias disse:
    11/03/2010 às 01:53

    Meus parabens pelo seu trabalho, uma bela e util obra…
    Estou cursando uma materia sobre povos amazonicos na faculdade e seu livro foi de extrema importancia para uma pesquisa…
    Uma obra de valor imensuravel.

    Alexandre Mendonça disse:
    30/04/2010 às 11:12

    Ei Sergio… tah faltando o “vô mesmo”, “vô merrmo” que dependendo do “contexto” pode ser entendido como “sim” ou “não”.

    Fica a dica…
    Abracos

    Alexandre Mendonça disse:
    30/04/2010 às 11:22

    Tem essa expressão idiomática que sempre ouvia pela minha avó ou parentes próximos….

    “cú que o priquito roa” que significa liso, sem grana…

    Chiquinha: Mãe eu quero muito comprar aquele o tururi do Pop da Selva…. (suspiros)
    Dona Chica: Deixa de leseira baré cunhantanha… não tem o cú que o priquito roa… e fica ai falando asneiras….

    heheheheheh

    arolim disse:
    10/06/2010 às 17:52

    bem que voce poderia colocar aqueles recursos q facilitam o envio de informacoes para redes sociais nao é? este assunto aqui sobre amazonês queria comentar la, n tem nem o link (todas as páginas é sergiofreire.com.br)!!!

      Giselle disse:
      16/10/2010 às 12:08

      Oi, Arolim!! Concordo com vc!!! Gostaria de divulgar o dicionário pros meus amigos e não consegui…. Espero que o Sérgio atualize logo essa questão!!!

    Claudia Cardelichio de Souza Silva disse:
    19/07/2010 às 11:26

    amei seu blog, como sou professora e fiz minha monografia sobre o linguajar cuiabano e amo o povo amazonense estava a conversar com um amigo da academia de letras de portugal falei que iria pesquisar sobre o amazonense e achei teu blog muito bom está de parabéns…

    Evelyn disse:
    21/10/2010 às 14:54

    Adorei este site, Sergio. Grande idéia e dentro da realidade amazonense..
    Tenho uma que talvez caiba no dicionário amazonês. O caseiro do sítio disse que estava com dor no joelho e que foi no TROMPETISTA. Mas ele estava fazendo referência ao Ortopedista. Pior é que encontrei mais outras 2 pessoas que falavam a mesma coisa. Agora ortopedista é trompetista.
    Parabéns!!!

    Mayanna disse:
    03/12/2010 às 14:58

    Oi professor, muito bom seu diciónario, parabéns!!!
    Queria saber se o dicionário esta disponovel para venda?

    Matheus Lima disse:
    11/12/2010 às 13:24

    Parabéns pelo dicionário.

    hitechlandia disse:
    02/02/2011 às 14:12

    Muito bom… agora lendo um pouco que percebi como eu falo amazonês!!! e direto😀

    Danilo Roberto disse:
    02/02/2011 às 17:16

    caroço Prof. que trabalho paidegua, muito chibata rsrsrsrsrs. Professor Sergio, brincadeiras
    a parte, quem vos digita e um amazonense que reside em BSB a 7 anos, mas não perdi o nosso xiado, estou contente em conhecer o vosso trabalho. Aqui no DF somos um grupo de amazonenses com mais de 30 pessoas que sempre se reunem nos fins de semana p/ assar um peixinho, jogar um dominó e brincar falando mal dos ……….. o senhor sabe ne parente? Parabens pelo grande sucesso desse livro que ja repercute positivamente em todo Brasil, que Deus abencoe o senhor Professor.
    Abracos,
    Danilo Araujo.

    @keytyluyse13 disse:
    09/02/2011 às 20:33

    Profº então é verídico que Amazonense fala xiado? E eu sempre neguei isso…rsrsrs
    Adooro o Amozonês. E o seu trabalho é legal que só!
    Parabéns.

    PATRICK DAILON MEDEIROS DOS SANTOS disse:
    26/02/2011 às 14:48

    Professor, falando no nosso dialeto… a cabucada de Parintins não fala em outra coisa, todo mundo se amarrou no seu livro rsrs : ) Prabens mesmo!!

    PATRICK DAILON MEDEIROS DOS SANTOS disse:
    28/02/2011 às 13:00

    … visitei seu blog e quase me espoquei de tanto ri kkkk, tem tanta pavulagem se orgulhando das origens, é como se fosse uma viagem no tempo!! tá será leso, quase eu choro. O Sr. pricisa vim aqui divulgar o seu livro… meus amigos e eu estamos fazendo a nossa parte. Me sinto orgulhoso, pois isso é raiz!!

    Orlando Campos disse:
    02/03/2011 às 17:22

    Sou amazonense com muito orgulho! Moro em Minas Gerais
    ha vinte e cinco anos. Escrevi um livro ao qual dei o nome de “Da Amazônia à Minas, tragetórias de vida”, nele eu falo um pouco sobre os costumes e o linguaja dos meus irmãos amazonenses. Quero te cumprimentar pelo excelente trabalho e desejar a você e sua família
    muita saúde e paz.

    Mercio Filho disse:
    19/04/2011 às 14:42

    Sou aluno da UEA e estou estudando a vida academica de Sérgio Freire e suas principais obras. Putz grila! professor! Esse tal de Amazonês é considerado!Ele nos mostra o modo de falar do amazonense. Fico contente em conhecer uma pessoa que valoriza nosso modo de falar. É isso aí professor! Parabéns!

    Camila disse:
    03/05/2011 às 11:42

    Olá professor!
    Quero lhe dar os parabéns pela sua obra!
    Há muito tempo estava querendo acessar seu site.
    Vi a sua entrevista na rede amazônica. E achei muito interessante o seu livro!!
    E nas minhas aulas de Linguistica vejo que tem tudo a ver. Estou fazendo Pedagogia e nessa matéria estou vendo que sempre haverá as variações linguisticas, dialetos tipicos de regiões… e devemos respeitar isso!

    Parabéns!

    Rebeca Correa disse:
    07/07/2011 às 19:24

    Olá Sergio Freire,
    Sou caboquinha de Manaus mas atualmente vivo nas terras geladas do Québec. E pra minha alegria na última viagem à Manaus, trouxe comigo o seu livro. É bom ler e reler ao mesmo tempo que eu lembro histórias e situações encontradas no dicionário!
    Muito bom!🙂
    Parabéns pelo trabalho.

    Ivanildo - Tefé disse:
    07/09/2011 às 17:54

    parabens Sergio e obrigado por mostrar que o nosso trabalho tem que ser encarado como uma ciencia, e que nao podemos nos acomodar e simplesmente reproduzir regras gramaticais para nossos alunos. Abraçao!!!

    Mário disse:
    01/10/2011 às 03:28

    Caríssimo Professor…

    Sou aqui de São Paulo-SP e gostaria muito que o senhor me ajudasse a encontrar o link para baixar a música “Pedra Pintada” dos compositores amazonenses Armando de Paula e Aníbal Beça.
    Esta belíssima canção retrata a magía de Itacoatiara e a famosa “Pedra Pintada” e foi lançada em 1994.
    Eu ví o video da mesma na época em que o canal Amazon Sat era captado aqui nas antenas parabólicas de São Paulo, porém lamentavelmente, por motivos de política interna das Organizações Globo que detém o controle acionário do canal, o sinal do mesmo foi cancelado aqui na região sul e sudeste do Brasil.
    Parece que a Rede Globo não quer que o resto do Brasil conheça as belezas e as riquezas do Amazonas.
    Até parece um tipo de “censura” ou coisa do tipo.
    De qualquer forma, agradeço ao senhor por dividir seus conhecimentos e pelo exímio Patriota que demonstra ser com seu espírito de civismo e verdadeiro amor à nossa terra, o Brasil.

    Cordialmente…Mário

    Lidiane Aguirre disse:
    14/03/2012 às 13:53

    Boa tarde,

    Estou fazendo um trabalho sobre as variedades linguísticas e gostaria de saber algumas palavras específicas utiizadas por vocês aí no Amazonas. Obrigada.

    Creuza da Costa disse:
    10/04/2012 às 20:59

    Ola professor Sergio, ouvi falar muito de voce, fiquei curiosa, por isso estou enviando o meu-mail para conversar sobre suas obras. Um grande abraco!!!!!!!

    Nicolas MIller disse:
    22/04/2012 às 06:37

    Oi professor quero fazer uma pergunta que não tem nada a ver com a area linguistica,tem a ver com hábito,eu não sou daqui do amazonas,estou aqui a quase um ano,e realmente existem muitas girias e expressões muito peculiares por aqui,mas minha duvida é a seguinte,ja fui varias vezes a casa de amigos e pessoas conhecidas o que eu tenho reparado é que quando se entra na casa de alguem “tem” que se tirar o sapato ou o chinelo,e as pessoas andam sem calçado dentro de casa,estranhei um pouco, e as pessoas estranhavam logo quando cheguei aqui quando eu entrava de tênis em suas casas e meus amigos tiravam os sapatos ,professor isso não é um hábito japones?A cultura Amazonica ou especificamente aqui de manaus tem alguma relação com o Japão?

    Joshilton disse:
    15/08/2012 às 09:00

    Vou e logo reservar um pra mim.

    […] Amazonês […]

    Rosângela Rosas disse:
    03/09/2014 às 16:07

    Passei um trabalho para meus alunos sobre a cultura da nossa região, entre elas está a nossa língua com suas gírias e obtive ricas informações encontradas no dicionário. Parabéns!
    Pense num dicionário pai d’égua mano!

    R,MARQUES disse:
    20/10/2015 às 21:12

    LEGAL, ME TROUXE UMA SAUDADE IMENSA DA MINHA INFANCIA LÁ NO MEU QUERIDO URUCARÁ….

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s