Ciúme

Postado em

“Ciúme é besteira. Ciúme é amor verde, amor que não chegou no seu melhor tempo. Preocupar-se com o outro é de lei para quem ama, mas não para lhe tirar o oxigênio, para lhe fazer mudar o trajeto, para lhe silenciar as palavras, para lhe fazer engolir sua liberdade de escolha, de ir e vir. Ciúme é um agrotóxico no jardim do afeto: pode até aparentar não ter bichos, mas ele é o próprio bicho. Ciúme bom é o do zelo, o tranquilo, o do cuidado, o do ‘estou prestando atenção em ti porque me importo’. Ciúme bom é o que consegue rir da vã tentativa dos outros de tentar beliscar o que é aparenta ser nosso e nem é. O amor maduro faz do ciúme um atestado de afeto, não uma causa de tormento. O amor maduro não faz do ciúme uma arma contra o outro, o oprimindo, o constrangendo. Para o amor maduro, o ciúme não passa de um recado contínuo de que aqui, o nosso colo, é o melhor lugar do parceiro.” SF

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s